História Geral

A Ascensão do Nazismo na Alemanha

O nazismo se desenvolveu a partir das influências de ideias pangermânicas, do movimento nacionalista alemão Völkisch e de grupos paramilitares anticomunistas chamados Freikorps, que surgiram durante a República de Weimar após a derrota alemã na Primeira Guerra Mundial. O termo “nacional-socialismo” surgiu a partir da tentativa de redefinição nacionalista do conceito de “socialismo”, para criar uma alternativa tanto ao socialismo internacionalista marxista quanto ao capitalismo de livre mercado. A ideologia rejeitava o conceito de luta de classes, assim como defendia a propriedade privada e as empresas de alemães.

A Ascensão Política de Adolf Hitler

República Parlamentarista: Com o final da Primeira Guerra, a Alemanha deixou de ser um Império. O imperador Guilherme II abdicou do trono e uma república nos moldes parlamentaristas foi proclamada. Foi chamada de República de Weimar, porque as decisões e a organização do novo regime foram feitas na cidade de Weimar.

Insatisfação Social: A população, insatisfeita com a situação, criticava o governo republicano, que para ela era o culpado por todas as misérias do país.

Instabilidade Econômico-Política: A Alemanha enfrentava sérias crises econômicas que abalavam o regime liberal democrático. Essa situação favoreceu o crescimento de movimentos de esquerda pelo país, bem como os da extrema-direita.

A Revolução Alemã (1919): Movimentos de esquerda cresceram no país e, em 1919, uma parte do Partido Social Democrata tentou tomar o poder. O movimento conhecido como Espartaquista foi duramente reprimido, e os líderes Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht foram presos e assassinados.

Criação do NSDAP: Em 1919, foi fundado o Partido Nazista (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, NSDAP). Adolf Hitler ingressou nesse partido e em 1920 já era um dos líderes.

– Nacional-Socialismo: (em alemão: Nationalsozialismus), mais comumente conhecido como nazismo, é a ideologia de extrema-direita associada ao Partido Nazista, ao Estado nazista, bem como a outros grupos ultradireitistas. Normalmente caracterizado como uma forma de fascismo que incorpora o racismo científico e o antissemitismo. O termo “nacional-socialismo” surgiu a partir da tentativa de redefinição nacionalista do conceito de “socialismo”, para criar uma alternativa tanto ao socialismo internacionalista marxista quanto ao capitalismo de livre mercado.

  1. – Rejeição da luta de classes.
  2. – Defesa da propriedade privada.
  3. – Apoio às teorias de hierarquia racial e o darwinismo social.
  4. – Pangermanismo e Xenofobia.
  5. – Superação das divisões sociais pela homogeneização.
  6. – Nacionalismo e tradicionalismo.
  7. – Teoria do Espaço Vital (lebensraum).

Lebensraum – O conceito de espaço vital (em alemão, Lebensraum), em geografia política, foi concebido por Friedrich Ratzel, nos seguintes termos: “Toda a sociedade, em um determinado grau de desenvolvimento, deve conquistar territórios onde as pessoas são menos desenvolvidas. Um Estado deve ser do tamanho da sua capacidade de organização.”

Milícias – AS e SS: Com o fim da Primeira Guerra começaram a surgir as Freikorps, milícias anticomunistas. Em 1921, os nazistas criaram as AS, Tropa de Assalto. Era a milícia alemã correspondente dos “Camisas Negras” de Mussolini, a qual absorveu rapidamente as Freikorps. Logo depois, surgiu a SS (Schutzstaffl), uma tropa de proteção a Hitler composta por assassinos fiéis ao seu líder.

– Revanche Francesa: Em 1923, tropas francesas invadiram a região de Rhur, na Alemanha. A ocupação foi estratégica, pois se tratava de uma região industrializada do país. A França, com essa invasão, reivindicava o pagamento das indenizações de guerra, que a Alemanha não estava cumprindo.

O Primeiro Golpe: Tentando aproveitar da fragilidade econômica e das dificuldades políticas do país, Adolf Hitler, apoiado pelo Partido Nazista, pelos monarquistas e nacionalistas, tentou um golpe contra o governo republicano, no episódio Putsch de Munique. Acabou preso.

Tempo no Cárcere: Foi julgado e condenado a cinco anos de prisão, tendo cumprido apenas nove meses. Nesse período ele escreve seu livro, Mein Kampf (Minha Luta), o qual contém as principais ideias e orientações políticas do regime nazista. Com a publicação do livro Mein Kampf, Hitler se tornou uma figura mais conhecida na Alemanha, e a sua obra teve uma boa aceitação.

Os Anos de 1924 a 1929 e a Ascensão de Hitler

Breve Crescimento: Entre os anos de 1924 e 1929, com ajuda de empréstimos norte-americanos a economia alemã se estabilizou e retomou lentamente o crescimento. Isto foi suficiente para que a República passasse a ter mais aceitação popular. Nas eleições de 1924 foi eleito o Marechal Hindemburg para a presidência, enquanto Hitler esperava uma oportunidade para tomar o poder.

A Oportuna Crise de 29: Com a grande depressão norte-americana a ajuda financeira cessou e os empréstimos foram cobrados. A economia vivenciou nova alta na inflação e no desemprego. O número de desempregados era alto e a crise econômica no país assustava trabalhadores e patrões. Os sindicatos, que antes tiveram muita presença entre os operários, não tinham mais tanta força, pois se mostravam incapazes de resolver o problema econômico alemão.

Propaganda, A Alma do Negócio: O Partido Nazista se aproveitou da Crise e da fragilidade do povo alemão para chegar ao poder. Passou a divulgar as ideias propostas por Hitler e canalizou o ódio alemão para as humilhações dos tratados de paz. Além disso, passou a atribuir os problemas econômicos à presença dos judeus no país. Os nazistas passaram a receber o apoio financeiro da alta burguesia (industriais e banqueiros), que temia o avanço socialista no país.

Vitória Política: Hitler vence as eleições em 1932 e assume como Primeiro-Ministro. No poder, Adolf Hitler e as ideias do Partido Nazista ganharam força e espaço no cenário político da Alemanha. Eles souberam aproveitar o momento e a fragilidade da esquerda.

O Perigo Vermelho (1932): O número de desempregados era alto e a crise econômica no país assustava trabalhadores e patrões. Os sindicatos, que antes tiveram muita presença entre os operários, não tinham mais tanta força, pois se mostravam incapazes de resolver o problema econômico alemão.

Golpe na Democracia: A Constituição foi anulada. Hitler manipulou informações sobre uma perigosa ameaça comunista e, dessa forma, conseguiu centralizar o poder em suas mãos e instalar uma espécie de “ditadura legal”, já que o Parlamento o autorizou a ter amplos poderes.

Expurgo: Seguindo os passos de Stalin (líder da URSS), Hitler promoveu na Alemanha a prática do expurgo. Por meio dele, judeus, democratas, comunistas, anarquistas ou opositores ao Partido Nazista passaram a ser excluídos dos cargos públicos.

Campos de Concentração: É dessa época, também, a instalação dos primeiros campos de concentração, locais criados pelo governo que funcionavam como uma espécie de prisão. As pessoas levadas para lá eram obrigadas a realizar trabalhos forçados, viviam em péssimas condições e acabavam, na maioria das vezes, executadas por agentes do governo.

Polícia Secreta (1933): Juntamente com a SS, Hitler criou a Gestapo, Polícia Política Secreta, que tinha como objetivo investigar e perseguir todos que eram de oposição política daquele momento.

Divergência Militar: Adolf Hitler tinha o apoio da burguesia e de vários setores da sociedade, mas precisava do apoio do exército alemão, até então fiel ao presidente Marechal Hindemburg. Os militares não viam com bons olhos a ação da AS (A Tropa de Assalto) que crescera e, nos anos de 1930, possuía muita força, contando com cerca de dois milhões de soldados, sob o comando de Ernst Röhm.

A Noite dos Longos Punhais: O presidente Marechal Hindemburg temia que a AS subjugasse o exército alemão; além disso, as suas ações pelas ruas das cidades alemãs começaram a colocar em xeque a autoridade de Hitler. Para resolver essas questões, Hitler promoveu um expurgo interno e, em 30 de junho de 1934, mandou prender e depois executar vários líderes da AS. Cerca de três mil pessoas acabaram mortas. Esta ação
acabou conhecida como a Noite dos Longos Punhais.

Acúmulo de Poder: Em 1934, com a morte do presidente Marechal Hindemburg, Hitler passou a acumular dois cargos: presidente e primeiro-ministro. Chegava ao fim a República Weimar.

O Terceiro Reich

Os Três Reich: A palavra reich em português significa império. Hitler instaurou o Terceiro Reich. O primeiro foi o Sacro Império Romano-Germânico, com Oto I, no século X. O segundo império existiu de 1871 a 1918, foi instaurado com a unificação dos germanos em torno da Prússia (formando a Alemanha) e deixou de existir ao final da Primeira Guerra. Adolf Hitler buscava com esse nome o resgate do passado alemão de grandes vitórias e de potência na Europa.

As Leis de Nuremberg (1935): Em 1935, o ódio aos judeus tornou-se institucionalizado com a publicação da Lei de Proteção do Sangue e da Honra Alemã. Além dela, foram instituídas a Lei da Bandeira do Reich e a Lei da Cidadania do Reich. Estas, mais tarde, fiaram conhecidas como Leis de Nuremberg. No Congresso, no qual foi apresentada por Hitler, a Lei de Proteção do Sangue e da Honra Alemã era um conjunto de leis racistas. Por meio dela, ficou estabelecida, por exemplo: a segregação racial, ou seja, os judeus passaram a ser vistos como seres humanos de segunda categoria; casamentos entre judeus e alemães de origem estavam proibidos e os judeus não poderiam empregar em suas casas alemães de origem com menos de 45 anos. A Lei de Cidadania do Reich também apresentou características racistas, pois negava aos judeus a cidadania alemã.

Sem título.png
Documento da época que explicava cientificamente como a mistura do sangue judeu com o sangue alemão comprometia a “raça ariana”.

Política Ostentação: Para legitimar o seu governo, o seu poder e as suas ideias, Hitler, assim como Mussolini e Stalin, empreendeu uma grande política de propaganda e de culto ao líder. Desfies militares, bandeiras do Reich por todos os locais, pronunciamentos ao público, saudações diante do Führer, utilização de símbolos e imagens foram empregados em larga escala. A população passou a viver e a acreditar que o nazismo era o melhor governo para o povo alemão e que Hitler era a liderança perfeita.

O “New Deal” Alemão: Para enfrentar a crise econômica, Hitler adotou a mesma orientação econômica dos Estados Unidos, o Keynesianismo. Passou a intervir em assuntos da economia, financiando grandes obras públicas para a geração de empregos.

Remilitarização: Levando adiante a sua ideia do “espaço vital” Hitler desobedeceu às imposições do Tratado de Versalhes. Alegando a necessidade de um território para o desenvolvimento do Império Alemão, deu início à remilitarização da Alemanha com o serviço militar obrigatório e o desenvolvimento do setor bélico. O militarismo passou a ser uma das fortes características do nazismo, bem como o racismo.

As Diferenças entre Nazismo e Fascismo:

“O nazismo é geralmente considerado como uma forma de fascismo, mas o nazismo, em contraste viu o objetivo do estado no serviço de um ideal daquilo que o estado supostamente deveria ser: as suas pessoas, raças, e a engenharia social destes aspectos da cultura com o fim último de uma maior prosperidade possível para eles às custas de todos os outros. O nazi-fascismo também se caracteiza pelo seu virulento anticomunismo. O fascismo de Mussolini continuou fiel à ideologia de que todos estes fatores existiam para servir o estado e que não era necessariamente no interesse do Estado servir ou manipular algumas daquelas características. O único objectivo do governo sob o fascismo era autovalorizar como a maior prioridade da sua cultura, simplesmente sendo o Estado em si, quanto maior a sua dimensão, melhor, pelo que se pode dizer que se tratou de uma Estadolatria (idolatria do estado) governamental. A característica importante do fascismo é o Nacionalismo Enquanto o Nazismo era uma ideologia metapolítica, vendo a si mesmo apenas como uma utilidade pela qual uma condição alegórica do seu povo era o seu objectivo, o fascismo era uma forma sinceramente antissocialista de Estadismo que existiu por virtude de e com fins em si mesmo. O movimento Nazista falou da sociedade baseada em classes como o seu inimigo e pretendia unificar o elemento racial acima de classes estabelecidas, enquanto que o movimento fascista tentou preservar o sistema de classes e sustentou-o como a fundação de cultura estabelecida e progressiva. Este teorema subjacente fez os fascistas e nazistas de então verem-se como parcialmente exclusivos entre si. Hoje, no entanto, esta diferença não é patente na terminologia, mesmo quando usada num contexto histórico. O nazismo e o fascismo tinham em comum a ênfase na privatização.” (Fonte: Wikipedia)


CONTEÚDO COMPLEMENTAR

  1. O Nazismo é de direita e ninguém poderá mudar isso.
  2. O poder da propaganda.
  3. Como era a Alemanha antes da Guerra em fotos.
  4. A história das fotos tiradas no campo de extermínio de Auschwitz durante o holocausto.
Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s