História da Arte

Impressionismo

Contexto Histórico

O impressionismo foi fundamentado na decomposição das cores, ou seja, tinha um caráter científico e deu início às grandes tendências da arte do século XIX, na chamada Belle Époque. O movimento do impressionismo tem início na França em 1874 e representa o marco inicial da chamada Arte Moderna, caracterizada pelo caráter vanguardista. O estilo encontrou em cada artista uma interpretação diferente, sendo que o único ideal era o de captar a imagem vista como se fosse um instantâneo.

Os Seguidores de Monet

Édouard Manet: O pintor francês não se considerava um impressionista, mas foi em torno dele que se reuniram grande parte dos artistas que viriam a ser chamados de Impressionistas.

Pioneiro: Diversas obras de Manet contém as características fundamentais do Impressionismo, como a preocupação natural e com a luz, bem como o descaso pelas regras artísticas instituídas academicamente. Embora o Impressionismo busque romper com o passado, suas obras ainda continham muita tradição, porém serviram de inspiração para os novos pintores.

Quem São?: Os impressionistas buscam romper o máximo possível com o passado. São responsáveis por iniciarem amplas pesquisas sobre efeitos de cor e ilusões de ótica para gerarem diferentes impressões nos observadores. Se posicionam contra a cultura tradicional estabelecida ao mesmo tempo que pertencem a um grupo individualizado, pois eles se veem como diferentes da sociedade. Não concordam sempre com as mesmas coisas, mas o que os une é que discordam sempre da mesma coisa: a imposição de regras na arte. São também responsáveis por mudar a forma como se pinta, saindo dos estúdios de arte e ocupando as ruas pintando sobre o cotidiano parisiense.

O Salão dos Recusados

Recusa: Obviamente as novidades na pintura não foram aceitas de forma positiva pela academia de artes e pelos críticos. Os impressionistas tentaram apresentar suas obras em uma exposição oficial, mas não foram aceitos. Para conter os intensos protestos dos artistas o Imperador Napoleão III organizou uma exposição somente para eles.

Salão dos Recusados: Este foi o nome dado a uma exposição paralela ao Salon de Paris, em 1863. No Salon des Refusés (Salão dos Recusados), foram expostas as obras de arte recusadas no salão oficial, que era destinado aos artistas membros da Real Academia Francesa de Pintura e Escultura.

Falem Mal, Mas Falem de Mim: Acabou atraindo grande público, que visitou a mostra disposto a ridicularizar as obras dos recusados, dentre eles Manet e Cézanne. Apesar da reação desfavorável aos trabalhos expostos, o Salon des Refusés passou a ser um forte concorrente ao salão da academia e, a partir daquele ano, muitos artistas passaram a organizar exposições independentes, dentre eles, destacam-se os impressionistas, em 1874.

Assim, o Salão dos Recusados é tido como um marco para o surgimento da pintura moderna.

A Revolução na Pintura

Vanguarda: A partir desde momento na História da Arte (que chamamos de Arte Moderna, iniciado pelo Impressionismo) a noção de vanguarda será muito presente na arte. Nas artes, o termo é relativo a produção e ruptura de modelos preestabelecidos, defendendo formas antitradicionais de arte e o novo nas fronteiras do experimentalismo.

Fotografia: O surgimento e desenvolvimento da fotografia foi fundamental para o nascimento do Impressionismo. A câmera fotográfica permitiu os pintores a se livrarem do peso que era ter de representar o mundo da forma mais realista possível, uma fez que a fotografia faz isso de forma mais precisa que grande parte das pinturas. Por isso, o pintor pode se dedicar mais a ser criativo.

O Início

O Impressionismo começou com um grupo de jovens pintores que rompeu com as regras da pintura vigentes até então. Os autores impressionistas não mais se preocupavam com os preceitos do Realismo ou da academia.

Característica Única: Pinceladas soltas sem seguir as os contornos de forma realista e dessa forma produzir um movimento único às imagens, ao mesmo tempo em que capta de forma natural em tempo real a luminosidade do ambiente: isto é Impressionismo.

GIF - Harmony in Grey and Green -  Miss Cicely Alexander. James McNeill Whistler, 1873..gif
Gif da internet sobre a obra Harmonia em Verde e Cinza: Miss Cicely Alexander. James McNeill Whistler, 1873.

Cientificismo: De uma forma geral, todo o século XIX que pariu o Impressionismo se move através do ideal de uma ciência perfeita e de uma vida científica. Isto teve reflexo no Impressionismo uma vez que os pintores se dedicavam intensamente à pesquisa científica das cores e aprimoramento constante das técnicas de pintura.

A partir dessas matrizes, outras características (ou convenções) foram sendo estabelecidas.

  1. A pintura deve mostrar os pontos que os objetos adquirem ao refletir a luz  num determinado momento, pois as cores da natureza mudam todo dia, dependendo da luminosidade do Sol. As sombras devem ser luminosas e coloridas e não negras.
  2. O desenho (ou contorno) não é mais a principal estrutura do quadro, mas sim as manchas e as cores que irão gerar a impressão do quadro no espectador.
  3. As cores desejadas para o quadro não devem ser alcançadas misturando pela mistura de pigmentos diferentes. Devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas. São os olhos do observador que, ao admirar a pintura, combina as várias cores, obtendo o resultado final. A pintura deles se move em torno dessa nova função.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Reflexos na Música

Embora a maior expressão do Impressionismo tenha sido na pintura, a maneira de pensar criada pelos impressionistas teve reflexo em outras artes, como a música. A música impressionista é caracterizada por sugestão e atmosfera.

Imprecisão: A influência de impressionismo visual na música é bem discutida e não parece haver um consenso claro entre os críticos. Isto se dá pela marcante influência de estilos tradicionais da música neste novo estilo musical o qual, por exemplo, com Clair de Lune de Debussy e Bolero de Ravel apresenta ainda vestígios do Romantismo na música.

Pinceladas na Literatura

Muito pouco do Impressionismo fez influência na literatura a ponto de poder observá-la como um movimento concreto e distinto de todos os outros. Ainda sim, o termo impressionismo é utilizado para  denominar obras de literatura nas quais basta acrescentar poucos detalhes para estabelecer as impressões sensoriais de um incidente ou cena.

Semelhanças: Literatura impressionista é bem relacionada ao movimento do simbolismo, entre os seus melhores exemplares podemos encontrar: Baudelaire, Mallarmé, Rimbaud e Verlaine. Autores tais como Virginia Woolf e Joseph Conrad escreveram, de certa maneira, trabalhos impressionistas de modo que, em vez de interpretar, eles descrevem as impressões, sensações e emoções que constituem uma vida mental de um caráter.


CONTEÚDO COMPLEMENTAR

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s